Semente de Chia

Posted by

A semente de chia está sendo considerada como um superalimento devido ao seu perfil nutricional equilibrado. Além de conter um teor de ômega 3 excelente, possui fitoesteróis, compostos antioxidantes, fibras dietéticas, alto teor de proteína e níveis significativos de antioxidantes, vitaminas e minerais.

Aproximadamente 33% da semente de chia é composta por óleo, sendo 62% de ácido linolênico (ômega-3) e 20% de ácido linoleico (COATES; AYERZA, 1996). Vale ressaltar que a adequada ingestão de ômega-3 fornece vários benefícios para a saúde como, redução de doenças cardiovasculares, prevenção de doenças do sistema nervoso, diminuição dos sintomas de doenças inflamatórias, tais como artrite reumatóide. (SIMOPOULOS, 1999).

O percentual de proteína varia entre 19% a 23%, sendo maiores do que proteínas do trigo, milho e arroz. Além disso, possui um bom equilíbrio de aminoácidos. (MONROY-TORRES et al., 2008).

Uma vez que o óleo tenha sido extraído da semente de chia, o material remanescente contém de 40 a 60% de fibra. A semente possui cerca de 4% de fibra solúvel que possui uma viscosidade muito elevada, auxiliando no aumento da saciedade (VUKSAN, et al., 2007).

A chia também fornece quantidades significativas de vitaminas do complexo B, vitamina C e minerais como cálcio, fósforo, magnésio, ferro, potássio, zinco, manganês e cobre (BUSHWAY et al., 1981). Além disso, ela não contém glúten, tornando-a adequada para o consumo de pessoas celíacas.

A presença de substâncias antioxidantes (ácido clorogênico, ácido caféico, miricetina, quercetina e flavonóides) torna a semente de chia um alimento com potencial anti-inflamatório (TAGA; MILLER; PRATT, 1984).

Portanto, ela possui várias funções terapêuticas, podendo auxiliar na prevenção de doenças coronarianas, controle do colesterol, da pressão arterial, do funcionamento intestinal, entre outros.

Formas de comercialização: sementes, farinha, óleo e cápsulas.

  • Óleo: Usado para temperar saladas e na fabricação de diversos alimentos como pães, biscoitos, massas, chocolate, bolos, etc.
  • Farinha: Ótima opção para fazer as preparações citadas acima.
  • Semente: Consumida crua, junto com o cereal matinal, no iogurte, nas saladas ou em bebidas. Para formar uma textura gelatinosa, deixe-a de molho em água e utilize no preparo de mingau, sopas, batida em sucos ou em receitas de bolo.
  • Cápsula: Novidade no mercado e assim como vários suplementos, o seu consumo pode crescer devido à sua praticidade.

Logado como

Nenhum comentáio encontrado.

Deixe seu comentário